Logo tv aberta
 

Inflação no ano é a menor desde início do Plano Real, diz IBGE

A inflação acumulada nos oito primeiros meses do ano foi de 1,62%, a menor taxa

06/09/2017 11:11:53

 Inflação no ano é a menor desde início do Plano Real, diz IBGE

A inflação acumulada nos oito primeiros meses do ano foi de 1,62%, a menor taxa para o período desde a implantação do Plano Real, em 1994. Os dados referentes ao IPCA foram divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira. A meta perseguida pelo governo para este ano varia entre 3% e 6%, por causa da margem de tolerância – o centro é de 4,5%.

O resultado histórico no ano ocorre após o índice de preços ter registrado alta de 0,19% no mês de agosto, a menor variação para o mês desde 2010. Em julho, a alta nos preços havia sido de 0,24%. A inflação acumulada em 12 meses até agosto é de 2,46%.

Apenas dois dos nove grupos monitorados pelo IBGE apresentaram queda no último mês, o de alimentação (1,07%) e o de comunicação (0,56%). Segundo o IBGE, a principal queda nos preços foi da alimentação, que teve o quarto mês consecutivo de baixa em razão da safra recorde. “Os destaques foram: feijão-carioca (-14,86%), tomate (-13,85%), açúcar cristal (-5,90%), leite longa vida (-4,26%), frutas (-2,57%) e carnes (-1,75%).”, diz o instituto. No grupo comunicação, o destaque ficou com as contas de telefone celular que ficaram, em média, 1,57% mais baratas. 

Entre as altas, os destaques foram nos transportes (1,53%) e na habitação (0,57%). A alta no primeiro grupo foi causada pelo aumento nos combustíveis, e praticamente anulou a queda no preço dos alimentos. “O litro do etanol ficou, em média, 5,71% mais caro. Já a gasolina subiu 7,19% em razão do aumento na alíquota do PIS/COFINS em vigor desde julho e da política de reajustes de preços dos combustíveis.”, disse o IBGE.

A inflação em ritmo fraco é um dos motivos que tem levado o Comitê de Política Monetária (Copom) a reduzir a taxa básica de juros, a Selic. O comitê anunciará na tarde desta quarta o novo patamar dos juros, após reunião. Os economistas estimam que haverá novo corte de 1 ponto porcentual, com a taxa indo de 9,25% para 8,25%. O aumento menor nos preços também é apontado por especialistas como fator que fez as famílias consumirem mais no 2º trimestre do ano, contribuindo para alta do PIB divulgada na última sexta-feira.

Texto Extraído do Site MSN 

NO FACEBOOK

PROGRAMAÇÃO

End.: Rua Cardoso de Almeida, 2269 - Perdizes - CEP: 01251-001 - São Paulo/SP - Telefone (11) 3868 - 2802 - Todos os direitos reservados - © 2012 TV Aberta São Paulo